Pesquise!

Carregando...

Seguidores

Facebook

Tecnologia do Blogger.

Link-me

O Blogueiro

Visitas.

16/06/2013
Oi, depois de tanto tempo sem postar, estou de volta com um poema grandão. 
Bom, por que comecei a escrever poemas?
Ah, porque me apaixonei...
E quando os poemas ficaram bons (na minha opinião)?
Quando levei um pé na bunda... é a vida.

Deixarei de enrolar e vou direto ao ponto, este poema foi feito pelo meu desejo de escrever uma estória rimada fictícia... para fugir da história que eu vivia na época, entendem?! Faz mais de um ano que foi feito e me orgulho muito de tudo isso...
Tive duas influências, uma delas foi uma música da cantora Sandy chamada ELA/ELE e a outra influência digamos que é mais elogiado pela crítica, uma canção do Chico Buarque com o nome VALSINHA .
Sem nunca querer me comparar, é claro, só achei uma boa ideia revelar o que me influencia, meu gosto eclético.




Relação

Ela lia na praça
Quando a chuva do céu desceu.
Vendo-a molhar-se longe
Com um guarda-chuva nas mãos ele correu.

Salvou não somente a moça
Como também sua ficção.
Ela olhou-o com os olhos gratos
E, logo, sentiu disparar o coração.

Naquela noite não dormiram.
Ele admirou cada parte daquela beleza.
Ela despiu-se lentamente da pureza.
E a noite virou dia.

Como dois passarinhos,
Compraram uma casa
E montaram seu ninho.

O fogo do casal
Por muito tempo queimou
Para cama iam muito cedo
Mas dormir não era o principal.

Ela suspirava a cada nova declaração
E ele parecia ter um poço cheio de inspiração.

Em uma tarde de descanso
Eles se puseram a cantar
Erraram todas as letras
E até cansaram de desafinar.

Depois com o tempo
A rotina ela observou
Puxando um pouco a cortina
Ela viu-o com um novo
Suposto amor.

O encanto se desfez
A dor, então se fez.
Ela pôs-se a chorar,
Os cabelos a arrancar.
Tapou a boca e não gritou.
Por fim, jurou a si não perdoar.

Em casa ele entrou.
Logo, viu-a chorando.
Ela gritou-lhe a dor
E ele não ousou negar
Chorou junto com a esposa
Prometeu não mais errar.
Comovida ela beijou-o com calor
E no chão, com ardor, se amaram.

A traição serviu, então, como gás
Fazendo a fogueira apagada da relação
Explodir e incendiar fugaz.

A mágoa, escondida, ainda perdurou
Apenas quando o primeiro filho nasceu
Ela o perdoou.

E a criança alegrava todos os dias.

Ele era um pai choroso
Agradecia a Deus por ser consigo tão bondoso.
Os dois choraram juntos mais uma vez
Ao saber que mais duas crianças viriam.

Em um par de anos
Três crianças passaram
A iluminar aquele ninho
Duas meninas e um menino.

Ele trabalhou arduamente
Para a meninada sustentar.
Ela se dedicava, meio cambaleante,
Tentava os educar.

Já feitos e formados
Os pequenos bateram as asas e voaram.
A mãe sofria ao sentir que os filhos perdia.
O casal sentou no sofá
E o silêncio da casa
Puderam escutar.

Ele levantou-se
E colocou uma música para tocar.
Puxou-a para si.
E uma valsa durante toda tarde
Permitiram-se dançar.

Um dia tudo findará
Mas, Ele e Ela,
Juraram para o resto da vida
Sempre se amar.


Rogério Queiroz

27 comentários:

  1. Poxa Rogério que poema lindo, no meio achei que ia terminar de forma trágica mas terminou tão romântico. Muito bom, vc tem muito talento para escrever pequeno gafanhoto!!!
    Super Abraço, Victor Rosa
    encantosparalelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Víctor, por este elogio: "pequeno gafanhoto", hehe.
      Valeu por seu comentário.
      Abraços.

      Excluir
  2. Oi Rogério tudo bem?
    Poxa,faz um tempinho que não escrevo poemas mas pelo que pude "analisar" você sabe muito bem usar cada metáfora e comparação rsrs,realmente é ótimo em poesias.
    Pena para quem "deu pé na bunda" rsrs,para você ficou bom depois disto.No meu caso eu fiquei boa depois de me apaixonar,amor platônico inicialmente,depois ficamos juntos(éramos novos 14 anos e meus pais não deixaram )= ),ficamos "separados" por 4 meses rsrs,voltamos e meus pais deixaram(ele já tinha 15),atualmente estamos juntos e já tem 3 anos kkkk,passamos por diversas situações juntos e tudo me inspirou a escrever.
    Como adolescentes/como dizem meus pais e avós(aborrecentes) são bem dramáticos tudo era tempestade em copo d´água e assim minhas emoções eram muito mais..."afloradas"? não achei a palavra certa rsrs,mas acho que esta esta boa,assim criei muitos poemas tenho um caderno deles.
    Logo vou postar uma no blog,no caso eu te aviso se quiser ^^
    Poxa que comentário enorme kkk,desculpa acabei ficando bem entusiasmada.
    Mas não se preocupa não,tudo se passa (=
    Abraços e continue assim tem ótimo talento.
    Tamires C.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau... um comentário biográfico, hehe, achei muito legal conhecer um pouco sobre suas relações, suas inspirações. Eu sempre fico besta com seus comentários grandões.
      Obrigado por sempre estar aqui no blog.

      Beijos.

      Excluir
  3. Lindo, Rogério! Achei que ia ser trágico, assim como nosso amigo ali em cima, quando li a parte da traição. Mas não. É um poema sobre perdão e como o amor vence tudo. É real. Ao menos ao meu ver. Eu adorei e você definitivamente deveria explorar esse talento!

    Beijokas
    escolhasliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda, este poema é nomeado Relação porque eu queria "criar" uma estória com os traços "reais" de algumas relações que eu conheço e todos nós conhecemos.
      Agradeço imensamente as suas palavras.
      Abração.

      Excluir
  4. Lindo! Lindo! Lindo! \o/
    Apesar de eu não ter perdoado a traição, no lugar dela, e de ter arrancado os cabelos dele, e não os meus... Kkkkkkkkkkkk!!!
    Mas quanta gente já não passou por isso, superou e ficou com seu amor, né?
    Sei mais nem o que te dizer, quando aparece um poema teu aqui... vou só ficar cobrando um livro mesmo. :D
    Beijos!

    Café com Leituras!
    http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também acho que as mulheres não deveriam perdoar traições e antes de perceber os caminhos do poema eu pensava que não haveria perdão mas as "águas da imaginação" fluíram para outro lado.
      Fico muito feliz com todas as suas palavras, mas realmente nunca pensei em um livro de poemas, quem sabe mais pra frente eu pense nisso...

      Beijos, Neri.

      Excluir
  5. Que talento você tem rapaz! Continue escrevendo esses poemas, eles são lindos!

    Beijos, Blog Admirando os Livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Viviane, muito obrigado pelo elogio. Pretendo continuar escrevendo... que não me falte inspiração!

      Abraços.

      Excluir
  6. Cara, muito lindo, muito bonito! Nossa, elogios não descrevem a viagem que fiz enquanto lia seu poema!

    Parabeens!! Você tem muito talento!! Pensa escrever um livro? Se não, comece a pensar!! KKK

    Abraços
    Adriano G.
    http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Adriano, por tão elogiosas palavras.
      Penso, sim, ultimamente com bastante frequência, em escrever um livro, mas acredite não seria nada tão romântico quanto os poemas. :3

      Abraços.

      Excluir
    2. Adorei o poema, ficou muito fofo! E a história pessoal por trás dele também é fofa.
      Tu tens talento com poesia, nunca pare.
      Sucesso, abraços!

      Excluir
  7. Obrigado pelo comentário, Anderson, sem pressão, né... kkk'
    Que bom que gostaste do poema e do que está nas entrelinhas...
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Voltei, depois de muito tempo! hahaha
    Nossa, Rogério, que poema mais lindo! Quase chorei! Infelizmente as melhores inspirações vêm de momentos ruins, né? Pelo menos a história do poema teve um final feliz.

    Beijos,

    Samanta. :)

    http://diversaoempapel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, a tristeza e a melancolia são bem mais inspiradoras que a alegria, né...

      Quase chorou, foi?! hehe, muito legal, estou conseguindo emocionar. Eu pensei em uma final triste, mas preferi não.

      Abraços.

      Excluir
  9. Olha se não fosse por ela isso não teria acontecido,
    se fosse comigo com certeza não teria...
    Mas fico feliz por eles, que conseguiram superar e
    construir uma linda família.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas muitas mulheres perdoam, eu tmb acho que não deve haver perdão pra coisas assim.
      Mas as vezes é bom saber que casais passarem por momentos difíceis e continuaram bem e felizes depois!!!

      Abraços.

      Excluir
  10. Nossaaa Rogério que lindo!!!!!

    Ai estou em lágrimas aqui rs sou muito emotiva e esse poema mexeu comigo. Você escreve tão bem!!!! Maravilhoso!!!!

    Tem uma TAG para você lá no blog... Xero!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Dih, pelo elogio.

      Valeu mesmo.

      Abraços.

      Excluir
  11. Sabe umas das coisas que mais admiro em uma pessoa?
    É ela conseguir usar a dor, a decepção, como artificio para seguir em frente.
    Muitas pessoas quando passam por momentos complicados na vida, começam a se lamentar. Só sabem reclamar e dizer que Deus é injusto ou que ele não existe. Não sou religiosa, mas acredito que existe uma força ou energia (como você quiser chamar) dentro de nós que nos ajuda em momentos de aperto. Sim, acredito em Deus, acredito que essa energia milagrosa que possuímos se chama Deus. Quando as decepções resolvem nos acompanhar por um tempo, não significa que você está sendo castigado, pelo contrário, a vida está te testando para saber até onde você aguenta, se você consegue driblar os problemas e encontrando o jardim certo, colher as soluções e seguir em frente. Você passou nesse teste sabia? Conseguiu mostrar que faz das decepções a solução.
    Parabéens, lindo poema, continue escrevendo assim e i'm sorry pelo texto hehehe, me empolgo as vezes quando escrevo*-*

    Beijos!!

    http://umsimplesprazer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro seus textos, esse que você escreveu aqui e os que leio no seu blog. Obrigado por cada palavras, foi lindo ler isso, hehe. Valeu pelo elogio.

      Beijos!!! ^____^

      Excluir
    2. Aah que isso, de nada ;)
      Você merece. Beijos!!

      Excluir
  12. Emocionada aqui, vc sabe o quanto q eu adoro ler tudo q vc escreve. ameiiiiiiii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Natali, haha, fiquei sabendo que você adorou demais esse poema, fiquei super feliz com aquela comparação, haha.

      Abraços.

      Excluir
  13. Ahh que lindo! Vc escreve muito bem amigo! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carol, seu elogio me deixa muito feliz.

      Abraços.

      Excluir