Seguidores

Facebook

Tecnologia do Blogger.

Link-me

O Blogueiro

Visitas.

30/06/2013
Os Doze Guardiões da Luz
Luiz Henrique Batista
Editora: Novo Século
Páginas: 448

Classificação: *****


Sinopse

Os Doze Guardiões da Luz - Luiz Henrique Batista
Ambientado num mundo de fantasia, "Os Doze Guardiões da Luz" narra as histórias de heróis imortais que encarnam os doze signos do Zodíaco. Séculos após a grande guerra, que expulsou a Escuridão dos reinos do oeste, o povo e os heróis parecem ter se esquecido da ameaça que reside lá fora, além da fronteira das terras da Luz com os países da neblina. Alheios ao alcance dos tentáculos do inimigo, os Guardiões são pegos de surpresa quando a ameaça vem não de fora, mas de dentro do reino, justamente daqueles em quem mais confiavam: eles próprios.

Resenha

O livro narra a estória do Mundo de Gaia, que é um planeta que passou por várias fases desde sua existência (formação), sendo dominada por vários seres diferentes como os Deuses (seus criadores), Dragões e os temíveis Gigantes. A Era dos Gigantes foi a mais terrível de todas, houve uma grande guerra entre humanos e gigantes, quando do céu caíram doze estrelas que tornariam-se homens e mulheres imortais que lutariam pela paz dos homens. Os Gigantes foram banidos, dando origem a Era dos Reis. Os homens foram protegidos por uma barreira que os separava dos monstros, barreira esta criada pelos Doze Guardiões, contudo, ela só se mantem de pé se os Doze Guardiões estiverem vivos.

A barreira protege o Triângulo do Sul – uma espécie de continente – que é formado por três reinos: Atria, Betria, Gatria.

Bom, está acontecendo o Festival da Primavera, onde todo o povo comemorava o fim do inverno, alguns Guardiões estavam reunidos em meio à festança, incluído o Guardião Áries e a Guardiã Peixes que são o casal protagonista, o primeiro e a última dos Doze.

O inesperado acontece: um troll surge no palácio no Castelo dos Sete Ventos, onde o rei e a rainha de Atria moram. É o primeiro sinal que a Escuridão conseguiu uma fresta para adentrar nas terras do Triângulo do Sul. Depois de derrotarem o troll maligno os Guardiões descobrem que um deles foi sequestrado. Como vocês já sabem a morte de um dos Doze destruiria a barreira.

Inicia-se assim uma busca não só pelo Guardião desaparecido, mas também pela verdade por trás dos últimos acontecimentos.

A ameaça está mais próxima do que se imagina...

Os Guardiões estão divididos, lutando entre si. Apesar de terem lutado juntos contra os gigantes eles não são “unidos” como um time. Cada Guardião tem sua própria forma de agir, seus próprios ideias... alguns estão tentando provar o quanto são bons, outros querem viver o amor e outros querem poder.

O Lorde do Terror, o Devorador de Corações e o Dragão Negro são os três vilões do livro, não direi o signo que eles representam, haha. Os personagens do mal são construídos de maneira espetacular, pois, em alguns momentos gostamos (eu gostei) bem mais deles do que dos Guardiões bonzinhos.

Existem muitas motivações para as ações dos vilões, só lendo para saber.


Além da resenha...

Como o título nos sugere, existem Doze Guardiões... da Luz (não diga) e cada um dos Doze representa, essa não é a palavra certa, um signo dos zodíaco, cada estrela cai de uma constelação. Os Guardiões são formados por elementos da natureza: ar, água, terra e fogo. Digamos que são quatro grupos de três, haha. O livro poderia ser cansativo se o autor apresentasse todos os Doze de uma vez, mas não, o leitor vai conhecendo-os aos poucos, isso é um ponto muito positivo, porque acaba deixando o leitor ansioso para conhecer os outros: Quem será o próximo? Mas por que tal Guardião ainda não apareceu? 

Não me lembro da última vez que me diverti tanto em uma leitura. O livro é cheio de aventura, batalhas, seres mágicos tanto do lado da luz quanto do lado da escuridão. Eu adorei alguns Guardiões – e detestei outros. Minha preferida, Aquário, é destemida, corajosa e luta tão bem quanto os guerreiros homens, ela tem um romance conturbado com um dos Guardiões, mas é uma história complicada... No começo não gostei tanto do personagem central, Áries, porque ele era inseguro, chato, enfim, no decorrer da trama acontecem algumas coisas e isso fez com que eu simpatizasse com ele, poxa, muito triste aquela cena (queria contar), haha. A Guardiã Virgem, pra mim, é a mais criativa nas peculiaridades, além da beleza e de suas habilidades é em seu romance, também com outro Guardião, que a surpresa acontece... Tem uma Guardiã que aparece só no último capítulo... não contarei mais.

O Luiz escreve muito bem, não encontrei erros gramaticais ou quaisquer outros erros (não que eu seja um exímio conhecedor de gramática). O livro é lindo, como alguém já falou nos comentários de outra postagem na qual eu expus o livro, a capa parece brilhar, a diagramação é sensacional, folhas amareladas, cada capítulo com um título atraente. Os livros da Editora Novo Século têm uma qualidade ótima, sem reclamações, haha.


O único ponto negativo que eu encontrei foi a falta de um mapa para que o leitor possa se localizar na história, Gaia é um planeta com anéis, tipo saturno, sabe, e duas luas, temos o continente Triângulo do Sul que faz fronteira com as Terras da Neblina, há também o Triângulo do Norte e alguns outros lugares citados no livro... eu precisava de um mapa! 





Por último, mas nunca menos importante, gostaria de agradecer ao Luiz que é autor parceiro do blog. Na dedicatória você "espera que eu goste" e eu realmente adorei a sua história e a forma como você a contou. Já estou aguardando uma continuação, vai rolar?





É isso... se algum de vocês tiver a oportunidade de ler este livro não adie, não perca esta oportunidade de entrar de cabeça no mundo de Gaia... lá têm duas luas.

Links



Abraços, 
Rogério Queiroz.


28/06/2013

Olá!!!
Hoje estou super feliz, pois o blog conquistou o belo número de 350 seguidores!!! \o/ Agradeço mais uma vez a todos por seguirem e por darem uma força aqui neste espaço onde eu divido meus "devaneios" literários.

Esta TAG, bem legal, foi indicada para mim pela Neriana do blog ( Café com Leituras! ). Valeu, Neri!!!

Regras:

1. Responder a pergunta: Qual a melhor viagem que você fez através da leitura e qual foi o livro?;


2. Usar o selo original da TAG e indicar mais 5 blogs para receber o selo.


Qual a melhor viagem que você fez através da Leitura e qual foi o livro?

Bom, vou citar dois livros super importantes na minha vida de leitor... e na minha vida "normal" também, haha.

O primeiro livro é o Reverso da Medalha do meu escritor favorito Sidney Sheldon. É uma verdadeira viagem por vários continentes e por diversos momentos da História. Eu gosto de livros que tem um cenário histórico e este, por exemplo, atravessa as duas guerras mundiais.
Além disso que eu já disse, o enredo é surpreendente, os personagens são construídos com verdade... nós odiamos e amamos... muitos dos fãs do Sheldon adoram os "vilões" desse romance. 
A Saga da Família Blackweel é demais, quem não leu... leia!

Eu sou vidrado nesse livro! Sinto o maior orgulho de tê-lo comigo, aqui...



Sinopse - O Reverso da Medalha - Sidney Sheldon: Kate Blackwell era milionária. E muito esperta. No mundo dos negócios, ninguém era capaz de passá-la para trás, e foi assim que conseguiu manter a solidez do império financeiro que herdou do pai - uma fortuna construída sobre a exploração e o comércio de diamantes na África do Sul. Mas o poder e a riqueza não eram os únicos elementos que faziam parte da história da família: a tragédia também acompanhara a trajetória de quase todos os seus membros, como um legado de maldição. Neste livro, Sidney Sheldon constrói uma saga emocionante, marcada pelo mesmo estilo que já cativou milhões de leitores em todo o mundo.



O segundo livro, como não poderia deixar de ser, é a continuação da saga centenária dessa família, A Senhora do Jogo. Uma curiosidade sobre esse livro: foi escrito após a morte do Sheldon pela escritora Tilly Bagshawe que, baseada em notas cedidas pela família, deu continuidade ao legado do Mestre. (Até o momento já escreveu 3 livros baseados nas tais notas, eu gosto muito. \o/)



Sinopse - A Senhora do Jogo: A aguardada continuação de um dos maiores sucessos de Sidney Sheldon. No seu bestseller mundial, O reverso da medalha, o autor nos apresentou à glamurosa e manipuladora família Blackwell e sua inesquecível matriarca, Kate. Tilly Bagshawe, autora do elogiado Adorada, retoma a saga dos Blackwell, seus amores, dramas e conspirações desde a década de 1980 até os dias atuais, quando uma nova geração comanda os negócios da família. Tenso e provocativo, A senhora do jogo agradará aos milhões de fãs de Sidney Sheldon e tem tudo para conquistar novas gerações de leitores. Mais de 300 milhões de exemplares vendidos, de seus 25 títulos, em 180 países e traduzidos para 50 idiomas levaram Sheldon ao Livro dos Recordes Guinness, na categoria de "Autor Mais Traduzido do Mundo". Todos os seus romances chegaram ao topo das listas de mais vendidos. Sheldon também foi bem-sucedido no teatro, no cinema e na TV: criou 6 peças da Broadway, 25 roteiros de cinema e mais de 200 roteiros para séries televisivas.


Espero que gostem das respostas.
Ah,não se acanhem, quem quiser responder à TAG, sem problemas, deixo livro.

Abraços,
Rogério Queiroz.


27/06/2013

Venho por este post (haha) divulgar mais um autor nacional. 
Dessa vez o blog está divulgando o trabalho do escritor Renan Carvalho, autor do livro Supernova - O Encantador de Flechas.

Sinopse

Supernova - O Encantador de Flechas: Imersa em uma ditadura ideológica, a isolada cidade de Acigam sofre com a ameaça da guerra civil. De um lado, a Guilda, um grupo que usa os ensinamentos da Ciência das Energias para exigir os direitos da população. Do outro, um governo tirano, com soldados especialistas em aniquilar magos, nome vulgar dado aos praticantes de tal ciência. No meio desse conflito vive Leran, um garoto prestes a se formar na escola e não sabe qual futuro pode ter em uma cidade como Acigam. Após o envolvimento dos membros de sua família na rebelião, ele percebe que também está fadado a participar da guerra e vive uma aventura alucinante para descobrir mais sobre a misteriosa ciência que permite encantar objetos com a energia dos elementos. Leran deverá conciliar suas preocupações com a irmã mais nova, a recente vida amorosa e o medo de ser capturado pelos terríveis silenciadores.

Sobre o autor


Renan cresceu com um gosto inexplicável por histórias fantásticas. Amante de desenhos, HQs, filmes, games e livros, aprendeu, desde cedo, a criar seu próprio mundo. Era o garoto que escrevia mais de vinte páginas nas lições de redação e tirava zero por ter fugido do tema proposto. Com o passar dos anos, deixou a fantasia de lado e voltou-se para o mundo real. Graduado em Marketing, passou a trabalhar dentro de sua área de formação. Foi apenas com vinte e cinco anos que decidiu buscar os cadernos empoeirados da época de criança e redescobriu sua paixão.

Leia a entrevista que a editora fez com o autor e saiba mais sobre Renan Carvalho e sua obra:

Novos Talentos: Supernova mistura ação, suspense e uma pitada de ficção científica. Como foi que essas temáticas entraram na sua vida?

Renan Carvalho: Sempre gostei de ficção, todo tipo dela. Games, HQs, filmes e livros. Meu trabalho carrega os traços das formas de ficção que eu mais gosto. Além disso, muitas vezes temos vidas monótonas, caídas na rotina. A ficção e a fantasia possuem o poder de nos tirar desse ciclo, de nos fazer pensar de uma forma diferente.  

NT: Como foi o processo de escrita do enredo que compõe o livro? E como criou os personagens?

RC: Supernova é um projeto antigo na minha cabeça. O enredo em si foi sendo elaborado durante anos na imaginação de um moleque que sempre gostou de vídeo games, desenhos animados e RPG. Quando decidi escrever o livro, passei mais tempo organizando os pensamentos do que de fato pensando no que iria acontecer. Os personagens vieram da mesma forma. Todos me acompanham há anos, sentam ao meu lado no carro quando dirijo, dormem comigo no mesmo quarto. Durante a adolescência, já os tinha desenhado, já tinha suas características. Eles só amadureceram junto comigo e ficaram prontos para contar suas histórias.

NT: Quais são suas influências literárias e como os leitores podem encontrá-las em sua obra?

RC: Tudo que é fantasia me influenciou de alguma forma. Mas vou citar algumas mais marcantes. Sempre tive dificuldade de ler livros mais densos, pois sou uma pessoa muito agitada. Quando o livro não me prende, simplesmente o largo. Fiquei surpreso com Jogos Vorazes quando percebi que havia lido mais de 100 páginas sem nem perceber o tempo passar. Decidi que minha história deveria ser contada com a mesma dinâmica. Os capítulos enganchados e o fluxo da narrativa da Suzanne me motivaram a contar uma história ágil. Acho até que consegui tornar Supernova ainda mais dinâmico misturando outras referências. Também não posso ignorar obras primas do gênero, como o Senhor dos Anéis e Harry Potter, que abriram a mente das pessoas, fazendo-as amar a fantasia.

NT: Fale um pouco sobre você. Seus hobbies, sua trajetória profissional, etc

RC: Sou formado em Marketing pela USP e trabalho no ramo dos negócios de uma grande multinacional. Como hobby...acho que tenho vários. Vou para a academia cinco vezes por semana, adoro ler e jogar vídeo game, coleciono bonequinhos (figuras de ação), me arrisco, às vezes, nos desenhos e, é claro... amo criar histórias!

NT: O que os leitores podem esperar do seu livro?

RC: Uma trama ágil, envolvente e que consiga prendê-los por horas dentro do livro. O Encantador de Flechas aborda política, questões sociais, romance e outros temas atuais em uma aventura mágica, que traz novas surpresas a cada capítulo.



Saiba mais sobre Supernova:

Facebook: Facebook
Twitter: @Renanocarvalho
Skoob: Supernova


Abraços,
Rogério Queiroz.


Olá, leitores, como vocês estão?

Aparentemente todos os leitores (leiam blogueiros) são loucos por marcadores, eu não sou a exceção, contudo, antes eu não ligava tanto: amassava, riscava e não tratava meus pouco marcadores com carinho... triste história. 
Agora tudo mudou, certo, eu passei a ser mais cuidadoso, hehe.

Bom, enviei um email para a Editora Novo Conceito depois de ver um post da Neri (Café com Leituras!)... a editora me mandou um email automático informando que receberam minha mensagem e logo alguém entraria em contato comigo. Rapidinho alguém (não lembro-me o nome) me mandou uma mensagem dizendo que eles estavam muito felizes por me enviarem os marcadores - (imagine eu).


Uma coisa curiosa que aconteceu: eu estava pensando nos marcadores quando o cara do correio chamou lá fora, parece loucura, mas é sério, desculpem... meu pensamento tem poder. 

Me mandaram 31 marcadores, todos lindos, né, haha.


Fiquei muito feliz com este gesto carinhoso que a editora me fez, isso é uma ótima forma de cativar o leitor.


Abraços,
Rogério Queiroz.
26/06/2013
Li até a página 100 foi criado pelo blog Eu leio, Eu conto. Nesta tag devemos responder às perguntas tendo em conta apenas as primeiras 100 páginas do livro que estamos a ler no momento.





Livro:
Os Doze Guardiões da Luz

Primeira frase da página 100:
"Desmontando, o arqueiro viu que se tratava de uma peça de armadura negra, dentro da qual jaziam ossos decrépitos e corroídos pelo tempo."

Do que se trata o livro?
O livro narra a estória do Mundo de Gaia, que é um planeta que passou por várias fases desde sua existência(formação), sendo dominada por vários seres diferentes como os Deuses (seus criadores), Dragões e os temíveis Gigantes. A Era dos Gigantes foi a mais terrível de todas, houve uma grande guerra entre humanos e gigantes, quando do céu caíram doze estrelas que tornariam-se homens e mulheres que lutariam pela paz dos homens. Os Gigantes foram banidos e os homens foram protegidos por uma barreira que separava-os dos monstros, contudo, esta barreira só se mantem de pé, protetora, se os Doze Guardiões estiverem vivos. 
E o inesperado é que o inimigo está mais próximos do que os Guardiões podem imaginar.

O que está achando até agora?
Eu estou adorando, este livro é diversão pura, cheio de aventura e surpresas... Fico esperando ansioso para conhecer todos os Guardiões que são muito bem construídos, eles vão aparecendo aos poucos conforme a trama se desenvolve. Acho que rapidinho concluirei a leitura.

O que está achando dos protagonistas?
Os protagonistas desse livro são os Doze, contudo, o casal central tem mais destaque. Áries e Peixes. Inicialmente eu simpatizei com Áries, mas tem momentos que eu queria vê-lo mais corajoso enfrentando os inimigos a altura. Eu gosto da Guardiã Peixes, porém, eu estou gostando mais dos antagonistas, os caras são do mal, haha.

Melhor quote até agora:
O quote que eu mais gostei está na página 104, será que pode?

"Todas as batalhas traziam vitórias, mas cada dia trazia novas batalhas."

Vai continuar lendo:
Sim, quero muito saber como se desenrolará este enredo, será que os Guardiões conseguirão salvar os três reinos da Escuridão... dos seres malignos?

Última frase da página:
"Fez um momento de silêncio por aquele e pelos tantos outros homens de Atria que ali haviam morrido."

Links

Espero que gostem desse aperitivo enquanto a resenha não fica pronta, mas acho que logo, logo, estarei postando.

Abraços,
Rogério Queiroz.
25/06/2013
Cores de Outono
Keila Gon
Editora: Novo Século
Páginas: 440
Classificação: *****


“...seria imperdoável perder as cores do outono.”

            Bom, vamos lá, a resenha de hoje é de Cores de Outono, um livro super especial pra mim e para o blog, pois, a Keila foi a primeira autora a conceder um exemplar de seu livro para resenha – imaginem minha alegria, haha. – Eu li a sinopse achei o livro interessante e entrei em contato com a Keila que deu sinal verde para a parceria, contudo, eu não tinha ideia da dimensão desse livro aqui na blogosfera...

“Cores” – como é chamado carinhosamente pela Keila - é cativante desde o início, desde a capa (haha), acho que o fato de ser narrado em 1ª pessoa traz uma cumplicidade com o leitor que passa a conhecer todas as emoções do personagem narrador, no caso, Melissa Wels.

No primeiro capítulo a protagonista nos conta sobre o acidente no qual a mãe e o padrasto morreram. Melissa está dirigindo, viajando de São Paulo para Campo Alto, uma pacífica cidade de montanha. Descobrimos, então, uma das principais peculiaridades dela: Melissa é desastrada, dirige mal, é cambaleante, está sempre caindo em situações constrangedoras na frente das pessoas.

“Sempre me considerei um ímã para o caos...” (Página 23)

O coração da jovem está mergulhado em um frio polar por causa das perdas e mesmo assim ela é forte e assume a responsabilidade de cuidar da irmã de cinco anos, Alice. Melissa está mais triste pela irmã, pois, acha que a menina, com a morte dos pais, perdeu muito mais que ela... Alice nunca saberia quão boa amiga a mãe Angelina era...


Alice e Melissa vão morar com o avô George (Opa), na Casa Amarela. Eu simpatizei com George à primeira linha de texto, gostei da personalidade paternal do homem que passou tanto tempo solitário, o espírito protetor, enfim, um avô que todos nós gostaríamos de ter.

Melissa é uma garota normal, não é do tipo que chama atenção, eu não tenho certeza disso... talvez ela só seja insegura, lembremos que ela está contando a estória, é o ponto de vista dela e tem um fato que me faz duvidar dessa normalidade: Melissa é muito cobiçada e desejada, principalmente pelos vizinhos.

Vou deixar de enrolação, haha, vamos aos romances.

Arthur é um amigo/inimigo de infância e ele roubou algo importante de Melissa nessa fase (eu queria contar, mas pode ser considerado spoiler). Arthur tornou-se um homem bonito com olhos dourados, mas sua personalidade divertida, muitas vezes é inconveniente, ele não tem papas na língua. Eu estava disposto a ser do #TeamArthur mas não deu... haha. Bom, o vizinho da Casa Azul - Arthur é o vizinho e mora com os pais que são donos do restaurante italiano no centro e amigos da família Wels – nutre uma paixão por Melissa e não esconde isso dela... as famílias torcem para que Melissa e Arthur se entendam... O Arthur seria o cara comum que daria uma vida segura a qualquer mulher, sabe o casamento longo, feliz e sem perturbações?! Contudo, as leitoras (blogueiras - haha) estão mais dispostas a se derreter pelo homem assustador vestido de negro.


Vincent Dippel é o cavalheiro carrancudo com os olhos azuis turquesa intensos por quem Melissa, (e todas as blogueiras), se apaixona e sofre frequentemente ataques de borboletas acrobatas em seu estômago sempre que o vê. No início Vincent é antissocial, sem amizades na cidade, na verdade, a cidade inteira tem medo dele, e, por isso, torci para a Mel se apaixonar pelo Arthur. Entretanto, com o desenrolar da estória, Vincent se mostra mais amigável com Melissa, protetor... apesar das suas constantes mudanças de humor. O casal impossível, enfim, ganha a torcida do leitor, a minha torcida.

A relação do casal é muito difícil. Melissa tem um gênio forte. Vincent tem muitas mudanças de humor. A gente pensa que vai ficar tudo bem entre eles e acontece algo pra colocar em dúvida a certeza que eles tem sobre o que querem...



É claro, o triângulo amoroso está formado. Façam suas apostas, haha.

Até esse ponto da estória tudo está normal, nos limites da realidade, a trama é um romance envolvente, mas lembram da sinopse? Do mundo mágico com elfos, magos e fantasia? No capítulo Bistrô, o mais longo do livro, todas as respostas são dadas, é de tirar o fôlego, o enredo entra de cabeça na fantasia e não assusta, pois, estamos sendo preparados desde sempre para enfrentar essa realidade paralela... todos os acontecimentos anormais de repente se encaixam. É mágico... E ainda acontecem muitas coisas com o casal, coisas pelas quais torcemos, sabem?!

“Melissa, faça o certo, não o fácil.” (Página 237)

Outro ponto muito importante da trama é Alice que em alguns momentos parece ser o ponto fraco da irmã, mas muitas vezes é a força de Melissa. Alice é sua responsabilidade e ela vai lutar para proteger a criança de qualquer perigo.

Ops, acho que me excedi um pouco.

Espero que tenham gostado.

Eu preciso agradecer imensamente à Keila, por ser tão carinhosa com o blog, por acreditar nesse projeto. Eu sou fã dessa autora, adoro quando ela escreve “Corei”, haha, estou aguardando a continuação de “Cores”, Sombras da Primavera e também já estou de olho no último livro da trilogia, viu. Muito obrigado e sempre que quiser pode usar este espaço.

Links
Abraços,
Rogério Queiroz.


24/06/2013
Oi, pessoal.
Ultimamente tenho firmado muitas parcerias, muitas mesmo, (haha). E essa é a primeira autora internacional, isso mesmo, a Shure Mei nasceu em Taiwan, contudo, percebo ela muito engajada nas causas sociais aqui do nosso país, lutando contra a seca, contra os mal tratos aos animais. Ah, ainda tem o fato dela estar batalhando nesse mundo literário de forma independente, sem editora, e os livros dela tem uma qualidade muito boa, tem gente que detesta livros com páginas brancas (cansa a vista) eu não tenho problemas quanto a isso, (haha).

Conhecendo a autora:


Shure Mei Uen nasceu em 1963, num lugar conhecido como Ilha Formosa, em Taiwan. Chegou ao Brasil em 1973 e foi morar em São Paulo, onde sempre estudou em escolas estaduais. Em 1981, se mudou novamente, desta vez para Pernambuco, local em que permanece até hoje. Sua paixão pela leitura começou pelo gênero de romance policial. Depois de ler algumas obras, o gosto pela escrita foi aflorado. A princípio começou a escrever sem dar muita importância, mas agora não consegue mais parar. “As Montanhas de Miley” é a sua estreia no universo literário. Depois dessa obra, a sua mente continua em plena profusão de histórias que em breve poderá ser conferida pelo público.


Olha o que já chegou aqui em casa ^^




Vamos conhecer os livros da Shure Mei:


As Montanhas de Miley: Miley possuía um metro e sessenta de altura, olhos levemente puxados cor de mel escuro, nariz afinado, lábios grossos e o cabelo comprido e liso com pontas levemente onduladas. Era, sem dúvida, uma mestiça muito bonita. Estava prestes a completar dezoito anos e morava com sua mãe, Lea, em um casarão que pertencera ao seu avô Tom Hokiman, em Kawai. Sua rotina muda com a visita do interessante Nick, um militar americano que veio ao país para oferecer uma homenagem ao seu avô pelos serviços prestados ao exército dos Estados Unidos. Charles, o tio de Miley, retorna ao país para convencer Lea e Miley a abandonar o casarão. Elas se recusam, porém após descobrir um segredo da sua mãe, Miley pede a ajuda de Nick e decide partir para Nova York para mudar de vida. Mas o que a jovem não sabia é que o destino já havia reservado mais surpresas para ela, que acabariam influenciando na vida de muitas pessoas. “As Montanhas de Miley” é um livro que mostra como a vida toma rumos diferentes do que esperamos. Trata de angústia, decepção, sucesso, inveja, amor, dúvida, ou seja, sentimentos muito presentes em nosso dia-a-dia. A personagem Miley é corajosa e acima de tudo humilde, pois a sua personalidade não muda ao longo da trama.


Três Amores e Uma Fronteira: Três irmãs, três histórias de amor. Embora bastantes diferentes uma das outras, elas guardam um segredo para proteger a família. A morte de um jovem devastou a Fazenda White Horse, da família Feewell. Kelly, filha de uma delas, foi levada para outra cidade, mesmo antes que fossem encontrada as ossadas do jovem, perto da fazenda. Treze anos depois, ela volta para o enterro de sua avó e acaba descobrindo o outro lado das histórias de duas tias e do seu pai. 'Três Amores e Uma Fronteira' tem personagens fortes, narra a coragem de cada um deles na missão de proteger as três senhoras Freewell contra seus inimigos que ressurgiram depois da volta de Kelly. Cada personagem narra a sua história - o presente e o passado. Aos poucos vai sendo desvendado o segredo que as três irmãs tanto guardam, quando começam a parecer as provas de um crime.

Os livros vieram com dedicatória ^^



Abraços,
Rogério Queiroz.


23/06/2013
SKOOB

Oi, pessoal, hoje estou passando para divulgar um pouco do trabalho da autora Daniele Nhasser, autora do livro Amor, és Real.

Bom, a autora é uma pessoa super simpática. Ficamos um tempão conversando sobre esse mundo, sobre a literatura nacional. Eu fiquei muito feliz por ela ter tirado minhas duvidas e respondido minhas perguntas que não foram poucas (haha).

Sobre a autora


Daniele Nhasser aos 21 anos lança seu primeiro romance "Amor és real" , amante de livros desde sempre , comanda um blog com três amigos do mesmo título (http://amantesdelivros-2012.blogspot.com.br/ ). Reside no interior de São Paulo na cidade de Capão Bonito com os pais e seu cãozinho Dodi , apaixonada pelas letras começou a escrever aos 14 anos , poesias de amor , cartas nunca endereçadas , possui até hoje em seus cadernos somando todas chega aproximadamente 300 poesias de amores e outros temas explorados por ela anos seguintes . Em março de 2012 ela teve acesso a um livro nacional que ela gostou tanto que despertou a vontade de explorar seu lado como romancista , e assim nasce seu primeiro livro .No começo ela não almejava publicação , foi depois de um incentivo de uma grande amiga ela decidiu batalhar e assim o fez . Amor , és real será lançado pela editora Aped . Atualmente ela já possui três outros títulos ( Avisada em Sonho / Amores entre as estrelas/ E assim será) , e escreve o quinto ( Talvez um dia) , mantém planos para finalizar duas histórias sobrenaturais que ela deu inicio em caderno quando ainda estudava uma tendo o titulo ( Raio de sol) e dar revisões as poesias .

Sinopse - Amor, és Real

Mariana, uma jovem do interior de Minas, já sofreu muito por amor e atualmente mantém a ideia fixa na cabeça de que esse sentimento não passa de invenção das pessoas para criar filmes e vender muitos livros. Rodrigo, um paulistano, chega na cidade de Formiga e se apaixona logo de cara pela linda garota, mas vai perceber que para ter a mulher amada não bastará galanteios, presentes e buques, para derreter e conquistar a confiança da amada passará um dobrado. Resistente ao amor, Mariana custa a aceitar o sentimento que brota em seu coração. E o que Rodrigo terá de fazer para conquistar de vez a moça. Quem ler, Amor, És Real, saberá?

LINKS: 

Vídeo falando um pouco de Amor, és real

Deguste as primeiras páginas do livro

Book Trailer

Já a venda na livraria virtual da editora


Abraços,
Rogério Queiroz.