Pesquise!

Carregando...

Seguidores

Facebook

Tecnologia do Blogger.

Link-me

O Blogueiro

Visitas.

16/12/2013


Título: É melhor não saber
Autor: Chevy Stevens
Editora Arqueiro
Páginas: 320

SKOOB
Sinopse: Sara Gallagher nunca sentiu que pertencesse de verdade à sua família de criação. Embora sua mãe seja amorosa e gentil e ela se dê bem com sua irmã Lauren, a relação com o pai e a irmã caçula, Melanie, sempre foi complicada. Às vésperas de se casar, Sara decide que está pronta para investigar o passado e descobrir suas origens. Mas a verdade é muito mais aterrorizante do que ela poderia imaginar. Sara é fruto de um estupro, filha do Assassino do Acampamento, um famoso serial killer. Toda a sua paz acaba quando essa história é divulgada na internet e o pai que ela anteriormente queria conhecer resolve entrar em sua vida de forma avassaladora. Eufórico com a descoberta de que tem uma filha, John vê nela sua única chance de redenção. E, para criar um vínculo com Sara, ele está disposto a tudo, até a voltar a matar. Ao mesmo tempo, a polícia acredita que essa é sua única chance de prender o assassino e resolve usá-la como isca. Então Sara se vê numa caçada alucinante, lutando para preservar sua vida e a de sua filha. É melhor não saber é um complexo retrato de uma mulher tentando entender suas origens. Uma história cheia de reviravoltas, na qual ninguém é completamente bom ou mau.

"- E se fosse algo que você não iria querer saber?" (Página 26)

Sara é uma mulher de 34 anos que fora adotada. Durante toda a sua infância ela idealizou sua família biológica, sonhando com os melhores pais do mundo. Seus pais adotivos decidiram adotá-la porque não podiam ter filhos, no entanto, tempos depois sua mãe consegue engravidar - duas vezes. Seu pai adotivo é um homem durão e a maltrata bastante, sempre atacando-a por ela não conseguir "fazer as coisas direito", só que ela é apenas uma criança.

Voltando para o presente: com 34 anos, Sara já tem a sua vida construída, tem uma profissão - ela restaura móveis -, é mãe de uma garotinha chamada Ally e está prestes a se casar com um bom homem, Evan. Evan não é o pai de Ally, mas é como se fosse. Mesmo com a vida estável Sara precisa preencher um vazio, ela sente a necessidade de saber quem são seus pais verdadeiros, ela quer conhecer suas origens. 

E ela consegue, através do seu registro de nascimento descobre o nome de sua mãe, Júlia Laroche - na ficha não há nada sobre o pai. Depois de algumas pesquisas, telefona para Júlia, mas a mulher não quer saber dela.

Como sua mãe biológica não quer falar, Sara contrata um detetive particular para investigar o passado da mulher e descobre que o nome verdadeiro dela não é Júlia. Seu nome real é Karen Christianson, a única vítima que conseguiu sobreviver ao Assassino do Acampamento, um famoso serial killer que nunca fora pego.

"O Assassino do Acampamento é meu pai." (Página 28)

De alguma forma a notícia vai parar em um site da cidade. Sara está exposta. Jornalistas começam a procurá-la em busca de confirmação, ela recebe alguns trotes... Até que um dia ELE liga.

Sara entra em contato com a polícia e eles "fazem dela" um meio para pegar o maníaco. Sara tem que atender as ligações do Assassino do Acampamento enquanto a polícia tenta rastrear, sem êxito.

"Tome cuidado com aquilo que deseja. Tudo o que eu desejava era um pai que se importasse comigo. Ah, está certo, ele se importa. Importa-se tanto que poderia facilmente me matar, se não matar primeiro todos que amo." (Página 246)

Com seus conflitos psicológicos e inseguranças, Sara tem que ser forte para proteger Ally e todas as pessoas que ama, pois, ela estava lidando com um mostro e ele poderia atacá-la a qualquer momento.

"Eu me sinto como se estivesse no meio de um lago congelado e a camada de gelo fino começasse a rachar." (Página 20)

* * *

Esse é o segundo livro escrito pela Chevy Stevens, seu primeiro romance chama-se Identidade Roubada. 

No seu segundo trabalho ela segue a mesma linha de narrativa do primeiro. Um livro em primeira pessoa dividido em sessões de psicanálise, onde a personagem conta tudo o que acontece para psicóloga Nadine. E uma coisa muito interessante é que a Nadine não tem fala, ela fala, tá gente, só que quando a Sara está com ela não há um diálogo direto e quando Nadine fala sabemos disso através do que a personagem principal nos diz - é um pouco confuso, então leiam o livro.

É melhor não saber é um livro muito bom, mas acontece que quando um autor escreve um livro fantástico, fenomenal, incomparável, chocante como a Chevy fez com Identidade Roubada, os leitores (eu) acabam esperando algo tão bom, ou até melhor, em seu próximo trabalho. Essa questão tem mais a ver com expectativas do que com a qualidade do livro resenhado.

Na sinopse há a seguinte frase: "Uma história cheia de reviravoltas, na qual ninguém é completamente bom ou mau". Isso é totalmente verdade, como exemplo posso citar os pais da Sara. Seu pai adotivo é um crápula, acredito que todas as pessoas que lerem esse livro vão odiá-lo muito no começo e no meio, o pai biológico que é o Assassino do Acampamento, é um monstro, mas por diversas vezes eu consegui gostar dele porque se mostrava um homem bom. Existem outros personagens que começam bonzinhos, mas não são tão bons assim e o contrário também é verdadeiro.

Eu também achei que, em alguma partes, acorreu uma enrolação e isso deixou o livro monótono. O meio do livro não tem ação nenhuma, a Sara recebe várias ligações no Assassino do Acampamento - o John - e é isso que acontece no meio da história. 

O livro volta com tudo a partir da Vigésima Sessão, eu fiquei sem fôlego, minha barriga chegou até a doer de nervosismo com o que estava acontecendo. "É melhor não saber" assume um ritmo eletrizante no seu final.

Então é isso, super recomendo essa leitura, mas recomendo principalmente que vocês leiam Identidade Roubada (SKOOB).


Links:
Site Arqueiro
Facebook
Twitter
Instagram


Abraços,
Rogério Queiroz.


9 comentários:

  1. Olá Rogério, tudo bem?

    Primeiro, peço desculpas pelo sumiço rs, mas você sei porque e não se preocupe... Uma hora nos falamos, certo?

    Eu li muitos livros do gênero este ano, mas agora fim de ano estou somente em romances mesmo, o que me faz nem importar tanto mais... Enfim, ressaca literária ainda aqui kkk.
    Já me falaram bem do livro, mais do primeiro é claro.
    Ainda não tinha lido a resenha do segundo também. Que carrasco o pai da menina!
    Serial Killer? Ai me interessou rs, fiquei curiosa e adorei sua resenha, como sempre!

    Beijos e se cuida tá?
    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie :)

    Apesar de tudo o que você disse, sobre a leitura ficar meio enrolado lá pro meio eu me convenci e quero ler esse livro. Anti-heróis são meus preferidos hehehe. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Fiquei com vontade de ler esse livro, cara \o/ Quero ler alguma coisa assim, do tipo mais policial, esse livro parece ser bem interessante mesmo.

    http://blogliterariopalavrasaovento.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. OIEE, Ro. Resenha incrÍvel. Amei, eu gosto muito da descrição dos detalhes,d e ver o desenrolar das coisas bem devagar nas resenhas e você consegue fazer isso com muita clareza. Parabéns. Como sempre sua escrita está impecável e você demonstra ser muito observador. Despertou o meu interesse pelo livro.
    beijos!
    seforasilva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bom?
    Passando para deixar um comentário rsrs
    Parabéns pela resenha, muito bem escrita.
    Adoro esse gênero, parece ser demais!
    Beijos*-*
    Território das garotas
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Esse livro é um dos que com toda a certeza vou ler. Não é a primeira vez que ouço falar dele, e desde já, minhas expectativas são muito grandes. É um livro cheio de investigações, mistérios... adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  7. É uns dos meus favoritos, confesso que não estava muito animado com a leitura dele, é tão bom quando menos se espera um livro te surpreende, assim foi comigo, valeu a pena e recomendo a todos *-* ainda não li Identidade Roubada, mas será minha próxima leitura. Eu agradeço por ter lido este primeiro, porque se for do jeito que você está falando não vou me decepcionar com o primeiro dela...

    ResponderExcluir
  8. Olá Rogerio,
    vou seguir a fala do meu xará colaborador acima... graças a Deus lerei este primeiro. Ganhei É Melhor Não saber de uma promoção se será minha próxima leitura!!!
    Adorei a resenha ;)
    Super Abraço,
    Victor Rosa - Encantos Paralelos

    ResponderExcluir
  9. Ameeeei esse titulo, deve ser muito bom esse livro! Peguei gosto por esse tipo de leitura.
    Entrou pra minha lista. =)

    http://bloglostinwords.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir