Pesquise!

Carregando...

Seguidores

Facebook

Tecnologia do Blogger.

Link-me

O Blogueiro

Visitas.

14/07/2014



Tudo de novo
Rogério Queiroz

(24/06/2014)


Às vezes o amor engole a si mesmo na ingênua esperança de tentar deixar de ser o que é. Como uma cobra engolindo o próprio rabo. Morrendo aos poucos.

No entanto, o amor não morre fácil, não cede ou se corrompe. Quando muda vira raiva, angústia, lembranças, saudade... Nem por isso deixa de estar lá, servindo de raiz para sustentar e alimentar qualquer outro sentimento que derive. 

Eu também já amei. Odiei. Chorei. Voltei a amar. Tudo de novo. E agora observo o amor que sinto deixar de ser o que é. Se consumindo nele mesmo.

Pensei muito e acho que não existe nada mais triste e bonito do que desistir do que se quis, ou do que ainda se quer... Dar um tempo. Alimentar os espaços. Esquecer. Desistir em função da felicidade do outro.

* * *

Olá, pessoal!!!

Agora as férias acabaram, minhas aulas voltam na quarta-feira e eu pretendo tomar jeito e escrever mais no blog. Agora tenho mais tempo, eu acho - eu diria que muita coisa andou acabando.

O texto acima eu escrevi há uns dias e é incrível como as coisas mudam, mas nem tanto. Não é uma poesia ou poema (nunca sei a diferença), apesar da coluna do blog se chamar "Uma dose de poesia".

Eu espero que gostem, ou que não gostem, enfim... Achei bacana compartilhar esses pensamentos aqui nesse momento.



Abraços,
Rogério Queiroz.



6 comentários:

  1. Rogério, tomara que volte mesmo!!! Ahh o Vic Rosa sempre falou que você escrevia bem e esse texto/poesia/poema (o que seja) não é diferente. Está muito bom.
    O tempo é a melhor resposta para o amor. Nunca desistir!!
    Adorei e espero mais outras doses de poesias/poemas...
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  2. Vish, mas já as aulas vão voltar? Ainda bem que ainda tenho um tempinho de folga pra ler com tranquilidade e sem enlouquecer porque devia estar estudando, haha
    Que poema lindo! De verdade, incrivelmente lindo, e até mesmo me fez refletir sobre algumas coisas. Esquecer ás vezes parece impossível... Mas é tudo o que podemos fazer, se quisermos seguir em frente e um dia ser feliz novamente

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Super profunda esta poesia...
    O amor é um misto de tudo isso mesmo!
    Adorei!
    E que o amor nunca deixe de ser o que é ;)

    ResponderExcluir
  4. Oie meu querido amigo, tudo bem?
    Espero que sim, porque tenho saudades de vc.
    Estava lendo a sua poesia e gostei bastante, principalmente porque achei ela bem profunda em relação ao amor. Quando eu era mais nova adorava escrever nas cartinhas para os meus namoradinhos hahahaha...Mas agora esse tempo passou e gostaria muito de acompanhar alguns blogs escrevendo sobre isso, porque é tão gostoso ler algumas poesias, principalmente aquelas reflexivas. Enfim...Adorei o que vc escreveu. Parabens meu amigo. =]

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá Mano gafanhoto, tudo bem?
    Vc fez uma reflexão bem profunda sobre o amor e pelo que te conheço acho que andou sofrendo um pouco com o coração. Soltar seus sentimentos em forma de palavras com certeza é uma das melhores terapias e nós que acompanhamos seu blog nos deliciamos com seu sofrimento '-' Brincadeiras a parte, o texto ta muuuito bom!!!!
    Super Abraço, Victor Rosa
    ~Encantos Paralelos~

    ResponderExcluir
  6. Você possui um Talento nato Rogério, o poema ( ou poesia como você diz) é lindo...
    Adorei a Comparação do amor engolir a si próprio como uma cobra, isso me lembrou
    de um escritor que fez uma comparação parecida, mas com o sentimento de solidão...
    O amor é como uma árvore que dá origem a muitos frutos, no caso são os diversos tipos de sentimentos que nos acometem em nossa vida, e tudo deriva da árvore, sem ela não temos o alicerce certo para a sustentação... Enfim, adorei o texto, espero que poste mais poemas ou poesias, como você queira dizer, pois eu tbm ñ sei qual a diferença. Abraços!!

    ResponderExcluir